FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO DO ESTADO DA BAHIA

Notícias

Ministro Paulo Guedes palestra para 400 empresários em evento promovido pelo Fórum Empresarial da Bahia

Sistema Comércio
26 de setembro de 2022
Ministro Paulo Guedes palestra para 400 empresários em evento promovido pelo Fórum Empresarial da Bahia

O ministro da Economia, Paulo Guedes, esteve em Salvador, no Senai Cimatec, na manhã desta segunda-feira (26/9), para apresentar as perspectivas da economia brasileira a uma plateia formada por mais de 400 empresários do setor produtivo baiano, entre comércio de bens, serviços e turismo, indústria, agropecuária e transportes. A realização foi do Fórum Empresarial da Bahia, com apoio da Fecomércio-BA, Fieb, Faeb, Fetrabase, FCDL Bahia e Associação Comercial da Bahia.

Guedes defendeu que o país teve sua estrutura econômica modificada a partir do governo Bolsonaro, dados os investimentos privados que o Brasil pactuou. “A partir dos novos marcos regulatórios, passou a entrar investimento privado. Temos encomendados quase R$ 900 bilhões. São dois planos Marshall”, avaliou, fazendo referência ao plano executado pelo governo dos Estados Unidos para a recuperação dos países aliados da Europa, nos anos seguintes à Segunda Guerra mundial.

De acordo com o ministro, o Brasil está indo bem melhor do que previam seus críticos. Ele afirmou que o governo criou 16 milhões de novos empregos nos últimos três anos e meio, ficando atualmente com uma taxa de desemprego inferior a 9%. “Precisamos fugir dessas narrativas políticas que prejudicam o país. O Brasil está condenado a crescer e vai crescer de qualquer jeito”, projetou.

 Analisando o cenário mundial, Paulo Guedes ponderou que a pandemia da Covid provocou o fechamento dos portos, rompendo as cadeias produtivas do Ocidente, o que vai levar a Europa a negociar com países de maior proximidade geográfica e política. “O Brasil é um país amigo de todo mundo e está próximo da Europa. O começo foi difícil, mas mudou radicalmente a percepção dos europeus sobre o Brasil.  O Brasil é, agora, a fronteira dos novos investimentos necessários à segurança alimentar, energética e ambiental do mundo”, cravou.

O presidente da Fecomércio-BA, Kelsor Fernandes, pediu mais atenção ao setor de serviços.  “Nossa categoria foi a que mais sofreu na pandemia e é uma das mais penalizadas com impostos. Somos o setor que mais emprega e precisamos que se tenha um olhar diferenciado sobre a nossa atividade, com menos tributação e mais acesso a crédito”, pleiteou.

O ministro pontuou que uma de suas metas à frente do ministério é incentivar a instalação de novas indústrias. “Vamos reindustrializar o país”, garantiu. O presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), Ricardo Alban, afirmou que o setor está disposto a colaborar. “Queremos e devemos ser cúmplices para o desenvolvimento econômico e social deste país”.

Para o presidente da Fetrabase e do Fórum Empresarial, Décio Barros, o encontro foi uma oportunidade para que empresários baianos tivessem perspectivas atuais sobre a economia do país. Ele aproveitou para elogiar as medidas de desoneração dos combustíveis. “Este esforço para diminuir a tributação que incide sobre os combustíveis se reverte num melhor equilíbrio para a economia brasileira”, disse.

Foto: Jefferson Peixoto